Lipo sem cirurgia

Chamada de criolipólise, esta nova técnica vem conquistando espaço no mercado dermatológico. Desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, o aparelho é colocado na superfície da pele, congelando as células de gordura, que posteriormente são eliminadas pelo próprio organismo, sem a necessidade de cortes.

De acordo com a dermatologista Juliana Gumieiro, essa técnica é segura e vem trazendo bons resultados no tratamento de gordura localizada. “A criolipólise promove um pinçamento de uma camada considerável de gordura, aplicando nesta parte uma temperatura negativa, que pode chegar até -10°C. Esse processo provoca o congelamento da gordura com consequente destruição dos adipócitos (células que produzem e armazenam a gordura). Tudo isso, com total controle da temperatura da pele oferecendo grande segurança”, explica a especialista.

Durante a utilização do aparelho pode haver desconforto na sucção e na retirada do aplicador, pois durante o procedimento a região fica anestesiada e não há dor. “Os resultados são percebidos com uma ou duas sessões. Estudos científicos em Harvard apontam redução de 20% a 25% da gordura localizada na região tratada. Porém, os resultados podem variar de pessoa para pessoa e nem todos podem passar pelo procedimento. São feitas avaliações e há contraindicações para, por exemplo, pessoas com sensibilidade ao frio”, alerta a dermatologista.

Recomendações

Após a morte das células de gordura sua eliminação é feita pelo próprio organismo, pelo sistema linfático. Porém a dermatologista alerta que este procedimento não é utilizado para o tratamento da sobrepeso ou obesidade, agindo apenas na gordura localizada em algumas regiões do corpo, melhorando a aparência das celulites e dos famosos “pneuzinhos”. “A criolipólise pode ser feita apenas nas regiões que se adaptam bem as ponteiras. Não é possível fazer no rosto, por exemplo, porque o aplicador não se encaixa. Outro fato em que as pessoas devem se atentar é que o procedimento, apesar de não  invasivo, pode ser realizado apenas por médicos”, finaliza Juliana.

 

« Retornar

Localização


Ver mapa ampliado